Abobado

Odeio petralhas | Raça de sangue ruim; corruptos, bandidos, oportunistas, picaretas, malandros…

Archive for janeiro 17th, 2009

Ponte de ferro da Cabeçuda: Quando cair, me avisem

with 9 comments

A ponte de ferro com a maria fumaça transportando carga e passageiros

A história

Ponte Ferroviária das Laranjeiras. Assim foi chamada durante muitas décadas a Ponte da Estrada de Ferro Tereza Cristina, com um comprimento de 1.480 metros. Depois popularizou-se como “de Cabeçuda".

Em 07 de março de 1876, organizou-se na praça de Londres, uma Companhia com o título “The Donna Thereza Christina Railway Company Limited”, que foi autorizada a funcionar no Brasil por Decreto nº 6.343, de 20 de setembro de 1876. O escritório da “Companhia”, como era tratada a concessionária, foi instalado na Laguna.

Em 18 de julho de 1882, pela primeira vez um trem percorreu o trajeto Imbituba-Laguna. A construção da chamada Ponte das Laranjeiras tornou-se um capítulo à parte na construção da Estrada de Ferro Dona Tereza Cristrina.

A ponte funcionou até 1934, quando em 1º de setembro daquele ano foi inaugurada a atual Ponte Henrique Lage.

A Estrada de Ferro já havia sido encampada pelo Governo Federal em 1902. Em 1906 as oficinas da Estrada de Ferro que eram situadas em Imbituba, foram transferidas para Tubarão. Os escritórios que desde a construção da Estrada de Ferro eram situadas na Laguna já haviam sido transferidos para a Cidade Azul. Em 1916 retornaram à Laguna onde ficaram até 1923. (texto de Valmir Guedes Jr)

Grade que deveria impedir o acesso de pessoas à ponte – não adianta nada!

A realidade

As imagens e os vídeos retratam fielmente a real situação desse importante patrimônio histórico, não só de Laguna, mas de todo o Brasil.

A “manutenção” da ponte deveria ser da competência da Ferrovia Dona Tereza Cristina, cabendo à Prefeitura Municipal de Laguna a fiscalização e limpeza do local.

Nenhuma providência vem sendo tomada, nem pela empresa que deveria zelar pelo seu patrimônio, tampouco pela Prefeitura de Laguna. Há de se ressaltar que o Decreto Municipal n° 34/77 determinou o tombamento da edificação. É mais ou menos assim: a Ferrovia joga a bola para a Prefeitura e a municipalidade devolve para a Ferrovia.

Na verdade a Ponte de Ferro da Cabeçuda é um peso que ninguém tem o menor interesse em carregar. Como o tempo se encarrega de tudo, melhor fosse que o patrimônio desabasse em plena Lagoa do Imaruí. É assim que os responsáveis pela manutenção da ponte devem estar pensando.

Cravos de madeira apodrecidos tentam suportar o peso da estrutura. As casas embaixo da ponte correm risco

Além da omissão pela conservação da patrimônio, a Prefeitura de Laguna faz vistas grossas à construção de casas sob a ponte. Há diversos imóveis edificados de forma irregular que oferecem grande risco aos moradores. Como pode ser observado, não existe a mínima segurança e qualquer pessoa leiga simplesmente fica abismada com o estado de conservação da nossa querida ponte e a coragem das pessoas em morarem embaixo dela.

Moradias irregulares embaixo da ponte

Não vou me alongar mais nesse assunto. As imagens são a prova cabal do que acabei de relatar e o que mais escreva servirá apenas para encher linguiça. Vejam e avaliem se estou “falando” da boca pra fora.

No vídeo, veja a situação da ponte na parte de cima e de baixo

Um abraço a todos e até a próxima.

Written by Abobado

17 de janeiro de 2009 at 13:14