Abobado

Odeio petralhas | Raça de sangue ruim; corruptos, bandidos, oportunistas, picaretas, malandros…

Archive for julho 15th, 2009

Zona total: Lula critica oposição por criação da CPI da Petrobras e diz "todos são bons pizzaiolos"

leave a comment »

Lula com Stephanes na Embrapa: Provando uma pizza bem grande feita pelos senadores. Vai engasgar

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje não estar preocupado com a CPI da Petrobras, instalada ontem. Segundo ele, há outras formas de investigar uma empresa do porte da Petrobras. Lula criticou a oposição pela insistência da criação da CPI.

"A mim não preocupa. O que eu acho é que tem gestos de irresponsabilidade na constituição de uma CPI dessas porque você pode pedir investigações da Receita Federal, da Controladoria Geral da República, do Ministério Público, da CVM", disse ele.

Lula afirmou que a CPI é interessante para quem "quer fazer um Carnaval". "Para quem quer investigar seriamente era preciso ter um outro mecanismo. Acontece que a Petrobras é a maior empresa brasileira, a empresa de maior projeção nacional, tem ações na Bolsa."

O presidente também aproveitou para usar o mesmo argumento dos petistas de que a oposição, quando era governo, queria privatizar a Petrobras. "Por que que a turma que queria privatizá-la ontem está hoje preocupada com a Petrobras? A minha preocupação agora não é com a CPI."

O presidente disse que sua maior preocupação agora é com o novo marco regulatório da exploração do pré-sal. "A minha preocupação é que me entreguem daqui a dez dias o novo marco regulatório da Lei do Petróleo por causa do pré-sal. Que quero anunciar ao Brasil qual será o novo marco regulatório e quero mandar para o Congresso as mudanças na lei que são necessárias. Enquanto a oposição grita, eu trabalho."

Questionado se a mistura de pré-sal com CPI daria em pizza, Lula respondeu: "Depende. Todos eles são bons pizzaiolos". Folha Online

Foto: Wilson Dias – Agência Brasil (editada)

Written by Abobado

15 de julho de 2009 at 19:14

Santa Catarina: Professores e seguranças entram em confronto na Assembleia Legislativa

with 2 comments

professores_alesc_15_07_2009Rolo na Assembléia de SC: Professores teriam tentado forçar a entrada no plenário. A Casa é do povo?

Atualização das 21 horas

Professores e representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sinte/SC) entraram em confronto com seguranças da Assembleia Legislativa no início da tarde desta quarta-feira. Segundo as primeiras informações, os professores tentaram forçar a entrada no plenário, que já estava fechado.

Os membros do Sinte/SC afirmam que os seguranças agrediram professores. Os seguranças negam e dizem que foram chamados para o confronto. Não há informação sobre feridos, nem sobre danos ao patrimônio.

Os deputados deixaram o local, e a sessão chegou a ser suspensa. A Associação de Praças de Santa Catarina (Aprasc) também fez manifestação no local.

Apesar de tumulto, Assembleia aprova projetos para salários da Educação e Segurança

A Assembleia Legislativa aprovou projetos do governo do Estado que tinham resistência de servidores da Educação e da Segurança Pública.
O descontentamento atingiu principalmente os professores. Eles queriam o pagamento integral do abono de R$ 100 em vez do parcelamento em quatro vezes — que foi aprovado.

A outra resistência era por parte dos agentes prisionais e dos praças da Polícia Militar contra a autorização que foi concedida ao governo para contratar vigilância terceirizada nas prisões de Santa Catarina. ClicRBS

Foto: Diego Redel – DC

Written by Abobado

15 de julho de 2009 at 18:44

Opinião do Estadão: Da crise ao caos no Senado

leave a comment »

Lula diz: É importante ser leal a Sarney porque há uma campanha pesada e não se pode individualizar

Em um intervalo da reunião do Gabinete do presidente Lula, na segunda-feira, o coordenador político do Planalto, ministro José Múcio Monteiro, transmitiu à imprensa o que seria o diagnóstico do governo sobre a crise do Senado – "instalada, mas em processo de superação". Era o que lhe competia propagar e é nesse desfecho que Lula investe os seus recursos de mando, quanto mais não seja porque ele se atrelou para o que der e vier ao seu parceiro José Sarney, o sitiado presidente de uma Casa em processo de desagregação. Lula decerto aposta que a sua popularidade o autoriza a assumir a irrestrita defesa de uma figura que hoje em dia encarna como ninguém o vicioso poder oligárquico na política nacional e, nessa condição, é alvo de denúncias devastadoras que ecoam amplamente na opinião pública.

Ainda na reunião ministerial, Lula exortou a sua equipe a cerrar fileiras em torno de quem ele é devedor por serviços prestados no transe do mensalão e com quem conta para unir o PMDB à candidatura Dilma Rousseff no próximo ano. "É importante ser leal a Sarney", comandou, "porque há uma campanha pesada contra ele e não se pode individualizar as acusações." Estas palavras abrigam uma falsidade e um despropósito – até aí nenhuma novidade, considerando o repertório do autor, embora a contumácia apenas acentue o seu cinismo. O que ele quer que se considere campanha nada mais é que uma sequência pesada, sem dúvida, mas de fatos objetivos que a imprensa desentranhou e que só agravaram a situação do seu protagonista nas raras vezes em que tentou contestá-los.

Leia mais aqui.

Mais escândalos recentes de Sarney e família, acesse:

Fundação Sarney repassa verba a seu diretor

Fernando Sarney é acusado de superfaturar obra de rodovia

ONGs da família Sarney recebem R$ 3 milhões de estatais

Written by Abobado

15 de julho de 2009 at 08:57