Abobado

Odeio petralhas | Raça de sangue ruim; corruptos, bandidos, oportunistas, picaretas, malandros…

Archive for agosto 2010

Dilma: Loading…

leave a comment »

Dilma tenta explicar detalhes de seu programa de atendimento especial a crianças em hospitais, caso eleita presidenta do Brasil. Observem a facilidade que a candidata tem de expressar suas ideias. E é na mão dessa gente que o povo brasileiro pode colocar o destino do nosso país.

Sinceramente, o Brasil merece coisa muito melhor!

Segue parte da fala da candidata. É de doer!
Uma das propostas que conjuga, assim, não só, né?, tecnologia de ponta, tecnologia sofisticada para o tratamento da criança, mas também tem um grande nível de humanização, porque eles usam todo o…, toda aquela questão do envolvimento da criança, mostrando que a boneca vai, tamém (sic), cuidar da cabeça, ou, quando a criança é submetida a algum nível de tratamento mais estressante, tomar o cuidado para garantir que, psicologicamente, ela se, enfim, ela tenha um, uma chegada maior a um processo que inclusive é de dor.

Written by Abobado

30 de agosto de 2010 at 22:49

Enem 2010: TRF suspende liminar e retira gráfica de licitação

leave a comment »

Fernando Haddad, da Educação: Só num governo ordinário como esse um bobalhão incompetente continua ministro

Em decisão divulgada nesta segunda-feira, 30, o Tribunal Regional Federal (TRF) da Primeira Região suspendeu a liminar que mantinha a gráfica Plural no processo licitatório do Enem 2010. Em 18 de agosto, havia sido concedida a liminar que determinava o prosseguimento da empresa no processo de habilitação para a impressão das provas. A decisão cabe recurso.

O desembargador federal Fagundes de Deus considerou que a Plural não cumpriu as regras do edital e, assim sendo, “impõe-se a inabilitação da concorrente”. Para ele, a gráfica não apresentou “atestados de capacidade técnica capazes de atestar o desempenho de atividade pertinente e compatível com o objeto licitado”. “Considero legítimo o ato administrativo que a inabilitou do certame em questão”, afirmou na decisão.

O vazamento da prova do Enem 2009, revelado pelo Estado, ocorreu nas instalações da Plural, na região metropolitana de São Paulo. Em nota publicada no início do mês, a empresa diz que "não responde por qualquer demanda judicial em relação ao vazamento da prova do Enem 2009" e que cabia ao consórcio Connasel "garantir a segurança e executar todas as atividades de manuseio, empacotamento, rotulagem e transporte das provas".

No dia 3 de agosto, a juíza federal substituta da 2ª Vara do Distrito Federal, Candice Lavocat Galvão Jobim, havia decidido suspender o pregão eletrônico para o serviço de impressão das provas do Enem 2010. A Plural, uma das empresas que ofereceram proposta para a impressão do exame, impetrou mandado de segurança, com pedido de liminar, contra decisão do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) que a considerou inabilitada para o serviço.

A Plural alega que apresentou o preço mais baixo para a impressão (R$ 65 milhões) e foi desclassificada antes de ter a sua instalação conferida. Estadão Online

Leia mais aqui.

Written by Abobado

30 de agosto de 2010 at 19:56

Parabéns Justiça brasileira: Dez anos após crime, assassino Pimenta Neves continua solto

with one comment

Hoje faz dez anos que a jornalista Sandra Gomide foi assassinada pelo jornalista Antônio Marcos Pimenta Neves, 73, seu ex-namorado. Pimenta matou Sandra com dois tiros pelas costas no dia 20 de agosto de 2000 e confessou o crime quatro dias depois.

Condenado por um júri popular a 19 anos de prisão em maio de 2006, Pimenta teve a pena reduzida para 15 anos e conseguiu continuar solto apresentando sucessivos recursos a tribunais superiores.

O caso hoje está nas mãos do ministro Celso de Mello, do STF (Supremo Tribunal Federal). Os advogados de Pimenta querem que o julgamento seja anulado por questões formais. O pedido foi rejeitado pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça) e eles recorreram ao Supremo.

A defesa alega que a formulação dos quesitos induziu a resposta dos jurados. A advogada Maria José da Costa Ferreira cita como exemplo disso o não reconhecimento da confissão do crime.

"O réu que confessa um crime é beneficiado, inclusive com a redução da pena. E um dos quesitos que foram indagados ao júri era esse. E eles disseram que não havia nenhuma atenuante. Isso é reconhecido até mesmo pela imprensa, que noticia a todo momento que ele confessou o crime", disse ela.

Na época do crime, Pimenta era diretor de redação do jornal "O Estado de S. Paulo", onde Sandra trabalhou como repórter e editora até ser demitida por ele, um mês antes do assassinato. Ela tinha 32 anos quando foi morta.

Pimenta ficou preso em caráter preventivo por cerca de sete meses logo após o crime. Foi solto por habeas corpus concedido pelo STF. Vive recluso em sua casa em São Paulo e não dá entrevistas.

O Tribunal de Justiça de São Paulo confirmou a sentença que condenou o jornalista em primeira instância e mandou prendê-lo no fim de 2006, mas Pimenta recorreu.

Embora o jornalista seja réu confesso, a ministra do STJ Maria Thereza de Assis Moura revogou a ordem de prisão invocando o princípio que presume a inocência de toda pessoa que não tiver sofrido condenação definitiva. Folha Online

Leia mais aqui.

Written by Abobado

20 de agosto de 2010 at 12:24

Sérgio Cabral chama menino de “otário e sacana” e Lula se preocupa com “prejuízo político”

with one comment

A cena acima é o retrato de como o governador do Rio de Janeiro trata o povo da periferia, a coices e ofensas de quinta categoria, o que justifica sua política de segurança belicosa e atabalhoada. E do lado, Lula preocupado com as repercussões políticas. Lamentável! Esse menino (de nome Leandro) merecia um curso de jornalismo e um estágio na área, porque atuando como atuou, ele já ensinou boa parte da imprensa, lotada de repórteres bajuladores, que com a verdade não se brinca.

O jovem fez questões pertinentes, denunciou o que acontece em quase todos os centros esportivos de periferia: o abandono. O povo fica impossibilitado de usar os espaços ou porque eles ficam fechados ou porque marginais tomam conta destes lugares (marginais que viram objeto de estudo e admiração de antropólogo rastaquera!)

Ao ser interpelado sobre a questão da quadra (de tênis) ficar fechada e o povo não poder usar a piscina, Lula mandou um aliado colocar guardas no centro esportivo, porque, caso a imprensa filmasse o lugar fechado, daria prejuízo político. Ora, presidente, por que não se cala? A quadra aberta é um direito da população. O que tinha que ter nestes centros é planejamento e uma administração que proporcionasse segurança e formação esportiva para as crianças.

Quando Lula falou dos seguranças – para inglês ver e o prejuízo político não bater à porta – o garoto foi genial: “Já me basta o Caveirão todo dia na minha porta!“. Daí o governador bradou suas pérolas preconceituosas de que na rua do garoto havia tráfico. Ora, como ele sabe?

A questão é simples. O governador Sérgio Cabral é daquele tipo de energúmeno que acha que todo bairro pobre é infestado de bandido. Mais adiante o governador, mostrando o seu baixo nível e o seu preconceito lorpa, disse que o garoto é sacana e que era para ele usar sua inteligência para estudar. O garoto foi genial de novo: “Sacana, não, tenho nome, meu nome é Leandro”!

Nesse momento Leandro deveria de ter sido veemente e dito:

Governador, o senhor não pode falar comigo desta maneira, são os impostos dos meus pais que pagam seu salário, eu estudo todo dia, estou exercendo meu direito de cidadão e estou a reclamar, com toda coragem e respeito – coisa que o senhor não tem – os direitos da população, e os senhores deveriam estar orgulhosos de um jovem que procura reivindicar, acertada ou erradamente, seus direitos, ao invés de estar no crime. Governador, o senhor me ofendeu, se eu levá-lo à justiça, o senhor terá sérios problemas. E mais: o prejuízo político já está evidente, foi plantado por sua virulência verbal e o Brasil está de testemunha. Aliás, o que vossa senhoria tem feito para evitar que jovens, como eu, não caiam nas garras do crime? O seu governo tem gerado emprego, cursos profissionalizantes para jovens de periferia ou os tem tratado como o senhor me trata, como sacanas? O senhor disse que na minha rua tem gente andando com fuzil, eu pergunto, senhor governador: de onde vêm esses fuzis? Por que a polícia que o senhor comanda permite que as armas entrem nas favelas? Em virtude disso, como o senhor e o presidente querem que confiemos na polícia? O que o senhor tem feito para combater a corrupção na polícia carioca? O que o presidente tem feito para impedir que drogas entrem no país? E digo mais, senhor governador: o senhor me chamou de sacana, mas quem sustenta a atividade do tráfico são os integrantes da classe média alta – a qual o senhor pertence – que consomem a droga. O senhor ao invés de me mandar estudar deveria saber se seus filhos – ou os amigos deles – não estão nas baladas noturnas do Rio de Janeiro entupindo as narinas de drogas, porque o fato de eu estudar ou não, é problema, a princípio, da minha mãe, não seu. E mais: por que o pobre não entra na universidade pública se ela é sustentada com o dinheiro dos impostos pagos pelos pobres? E por que os reitores permitem que estudantes usem drogas dentro das universidades? Quando os consumidores de drogas – estudantes, pobres, ricos, governadores ou garis – vão assumir que são culpados pelas chacinas causadas pelo narcotráfico?

Evidente que o garoto não ia conseguir realizar essa profusão de perguntas, até porque esse tiranete de governador não ia ouvi-lo. Mas indo até onde foi, o garoto foi bem. O que se espera depois desse vídeo é que apareçam jornalistas com coragem e façam essas questões ao governador do Rio de Janeiro, nas sabatinas, nos debates etc.

Essas questões deveriam ser feitas corriqueiramente por todos os jornalistas, principalmente, jornalistas independentes que não têm rabo preso com candidaturas e núcleos de interesse, sorrateiros. Que todos os cidadãos façam o mesmo que o Leandro, daí, todos os políticos, como o Lula, teriam medo do prejuízo eleitoral e tratariam os pobres como cidadãos e não como sacanas e gado, como fazem determinados governadores almofadinhas.

Por André Henrique – Via Política

Written by Abobado

19 de agosto de 2010 at 11:57

Mais um rolo: Novo trapiche da Beira-Mar Norte, em Florianópolis, custará R$ 1 milhão

leave a comment »

Trapiche da Beira-Mar Norte: Se o valor é de 1 milhão, podem acreditar que tá superfaturado

Local privilegiará visitantes e pescadores que usam principalmente redes de tarrafas

Na próxima semana começam as obras do novo trapiche da avenida Beira-Mar Norte em Florianópolis. As estacas em concreto estão sendo produzidas em uma empresa de pré-moldados na Ponte de Imaruim, em Palhoça. Com custo de R$ 1 milhão, o novo trapiche terá 5m30cm de largura e 61m80cm de comprimento. Pouco maior do que o antigo, interditado por falta de segurança em 2006.

O local, um dos pontos turísticos da Ilha de Santa Catarina, privilegiará visitantes e pescadores que usam principalmente redes de tarrafa. A previsão é de que seja entregue ao público no final de outubro. Mesmo que a revitalização da via não esteja totalmente concluída.

Capacidade

A capacidade é para receber simultaneamente três embarcações com cerca de 70 toneladas cada. A prefeitura promete uma infraestrutura adequada para o local.

— O projeto inclui proteção metálica para evitar a ação da maresia e iluminação cênica nos moldes da que existe na Ponte Colombo Salles — diz o secretário de Obras Luiz Américo.

Sobre o preço da obra, que teve custo divulgado na imprensa em R$ 4 milhões, o secretário diz:

— Desconhecemos a fonte da informação. Se custasse R$ 2 milhões já seria caro — sugere.

A nova estrutura faz parte das obras de revitalização da Beira-Mar Norte, que teve um custo inicial estimado em R$ 7,5 milhões. Mas o valor total passou para R$ 9 milhões, sendo R$ 6 milhões da Celesc e R$ 3 milhões da prefeitura. ClicRBS

Foto: Júlio Cavalheiro – DC

Leia mais aqui.

Written by Abobado

18 de agosto de 2010 at 22:26

A mentira histórica contada por Dilma no debate Folha/UOL

leave a comment »

Pinóquio invertido: O nariz da ‘boneca do Paraguai’ agora encolhe toda vez que ela mente. Vai faltar cara

“Aprovamos o Plano Real e, mais do que isso, levamos à frente e o utilizamos de forma adequada”.

De quem é a frase? Da petista Dilma Rousseff no debate da Folha/UOL. Caso Serra dissesse uma flagrante mentira, dessas escandalosas, contra todas as evidências dos fatos, contra a história, contra o modo como se organizou a política de 1994 a esta data, o jornalismo online estaria noticiando a mentira em letras garrafais. Amanhã, os colunistas isentos fariam a festa no jornalismo impresso.

A mentira grotesca contada por Dilma ficará por isso mesmo. O Plano Real não se resumiu a uma ou duas medidas. Tratou-se de um conjunto. O PT se opôs a todas, a rigorosamente todas, em especial ao plano de estímulo à reestruturação dos bancos, o Proer, que garantiu a saúde do sistema financeiro brasileiro e foi fundamental para assegurar a estabilidade da moeda. Só para lembrar: a reestruturação custou o fim do Banco Nacional, de que netos de FHC eram herdeiros. É isto: FHC chegou ao poder com netos herdeiros de bancos (sua então nora era da família Magalhães Pinto, que controlava a instituição); quando saiu, aqueles mesmos netos eram, como a maioria de nós,  do MSB, o Movimento dos Sem-Banco.

Nota à margem: a família Lula da Silva deu mais sorte. O patriarca chegou ao poder, e um de seus filhos era monitor de jardim zoológico. Hoje, o mesmo filho, Lulinha, é o dono da Gamecorp, aquela empresa que recebeu uma generosa injeção de dinheiro da então Telemar, hoje Oi, de que o BNDES era e é sócio. A história do “movimento operário” nestepaiz é realmente muito linda!!!

Adiante. O PT afirmava que o Proer não passava de mamata para banqueiros — e com o endosso de setores do jornalismo; aqueles mesmos que se calarão, agora, diante da mentira contada por Dilma.

O partido se opôs ao Plano Real, sim, tanto que fez a campanha eleitoral de 1994 tentando demonstrar os malefícios todos que ele causaria ao Brasil. E passou os oito anos seguintes tentando sabotar a estabilidade.

No máximo, a petista poderia dizer que seu partido “aprovou” o Real depois que estava no poder, sem jamais reconhecê-lo. Ao contrário. Teve lugar o discurso no qual ela navega até hoje: “Nunca antes na história destepaiz”.

É impressionante que a mentira seja dita de modo tão explícito, tão escancarado, e que a reação seja praticamente nenhuma. Mas vá Serra lançar no ar um dado impreciso que seja… Vira manchete. De novo: isso nada tem a ver com as minhas afinidades com esse ou com aquele. Contentem-me demonstrando quem é que está dando destaque à mentira histórica.

Ora, se o PT tivesse aprovado o Plano Real, a clivagem que hoje existe na política brasileira não teria como seus principais protagonistas o PT e o PSDB. Sem essa! Depois de ter tentado apagar da memória do país as conquistas dos adversários, os petistas agora tentam roubá-las.

Por Reinaldo Azevedo

Written by Abobado

18 de agosto de 2010 at 20:10

Opinião do Estadão: Um plano em execução

leave a comment »

blog_18_08_2010_cabides

O caos nos principais aeroportos brasileiros registrado no início do mês, por causa da mudança do sistema de escala das tripulações da Gol, bem como o ocorrido no fim do ano passado, em decorrência da adoção de um novo sistema de check-in pela TAM, deixaram claras a incompetência operacional da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e sua incapacidade de evitar colapsos como o ocorrido.

Mas a Anac é apenas um exemplo de como, por meio de asfixia financeira, de nomeações de dirigentes sem as qualificações técnicas necessárias para exercer o cargo e até de redução de responsabilidades, o governo Lula vem esvaziando as agências reguladoras, na execução daquilo que tem todas as características de um plano preconcebido.

Agências imunes aos interesses políticos do governo são incompatíveis com a política petista de açambarcamento do Estado Nacional. Por isso, desde o início deste governo, boa parte das verbas orçamentárias das agências vem sendo retida pelo Tesouro Nacional, a pretexto de assegurar o cumprimento das metas de superávit fiscal. No ano passado – como mostrou o Estado na segunda-feira, em reportagem de Renée Pereira – o contingenciamento dessas verbas atingiu um nível recorde.

Deixaram de ser repassados às agências nada menos do que 85,7% das receitas totais a que elas tinham direito, o que tornou impossível a realização de serviços essenciais, especialmente os de fiscalização. Esse número foi levantado pela Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base (Abdib), com base em dados do Tesouro Nacional.

Criadas para regular e fiscalizar a prestação de serviços públicos por empresas privadas ou estatais, as agências são órgãos do Estado brasileiro, que não deveriam estar subordinados ao governo. Por isso, não estão vinculadas à estrutura dos Ministérios e, assim, não deviam receber ordens do presidente da República, de ministros ou de outros funcionários do Executivo. Para exercer sua função, devem dispor de autonomia financeira, administrativa e operacional, além de amplos poderes de fiscalização e de liberdade para impor sanções.

Mas, com o contingenciamento das suas verbas, o Executivo limita drasticamente a sua capacidade de atuação. Em 2009, por exemplo, a Anac só dispôs de R$ 20 milhões para garantir a operação da aviação civil de acordo com os padrões internacionais de qualidade e segurança. Em 2010, foram autorizados para essa função R$ 34 milhões, mas R$ 10 milhões foram contingenciados.

Leia mais aqui.

Written by Abobado

18 de agosto de 2010 at 09:49