Abobado

Odeio petralhas | Raça de sangue ruim; corruptos, bandidos, oportunistas, picaretas, malandros…

Enchentes no Rio de Janeiro: A quem cabe a falha histórica pela morte de quase 600 pessoas na Região Serrana

with 5 comments

altTragédia no Rio de Janeiro: Enterro das vítimas dos temporais lota cemitério de Teresópolis

Esses petistas morrem e não dão o braço a torcer. Quase 600 pessoas morreram na Região Serrana do Rio e não tem uma "autoridade" desse governo que tenha a dignidade de dizer "mea culpa". E cada hora vem um com uma historinha diferente tentando esconder o "sapo" do seu ombro. Hoje, foi a vez do ministro da Justiça José Eduardo Martins Cardozo, que culpa como "falha histórica" do Estado a tragédia do Rio. E é claro que, quando diz "falha histórica", ele quer que o leitor entenda que essa "falha" não inclui a história de oito anos do PT no poder. Quando você lê "histórica" o seu subconsciente está lendo "coisa antiga". Entendeu o recado? Viu como é que se tenta jogar "verdes" para a opinião pública?

A verdade é que o PT teve a oportunidade de reparar essa "falha histórica" durante o governo do ex-Imperador e não o fez.

Quando Debarati Guha-Sapir, consultora externa da ONU e diretora do Centro para a Pesquisa da Epidemiologia de Desastres e uma das maiores especialistas no mundo em desastres naturais e estratégias para dar respostas a crises, afirma que o "Brasil não é Bangladesh e não tem nenhuma desculpa para permitir, no século 21, que pessoas morram em deslizamentos de terras causados por chuva", ela joga na lama afirmações como estas do ministro da Justiça e de qualquer outra "autoridade" desse governo.

E ela vai mais longe quando diz que a prevenção não custa caro e que o "Brasil é um país que já sabe que tem esse problema de forma recorrente. Portanto, não há desculpa para não se preparar ou se dizer surpreendido pela chuva. Além disso, o Brasil é um país que tem dinheiro, pelo menos para o que quer, afirma Debarati.

Veja, por exemplo, uma das tecnologias de prevenção que este blogueiro encontrou na internet. É da empresa Esteio, que usa a tecnologia LIDAR, que é feita a partir de Mapas de Gerenciamento de Risco de Inundação que são capazes de obter de forma rápida e precisa informações referentes a topografia da região, detectando as possíveis áreas de risco ou viabilizando projetos para prevenção de enchentes ou até mesmo um novo plano de ocupação de um município. Como exemplo de emprego da tecnologia LIDAR para Modelagem de Terreno é possível simular a variação de nível da água sobre uma região. O mapa simulado de Inundação do Município de Pirapora é uma amostra do detalhamento do Modelo Digital do Terreno gerado a partir de dados LIDAR. Com ele, é possível conhecer a trajetória que a água vai percorrer a cada metro de uma provável elevação do nível das águas do rio. Veja a simulação:

altSimulação com elevação do nível em 1 metro

altSimulação com elevação do nível em 2 metros

altSimulação com elevação do nível em 3 metros

altSimulação com elevação do nível em 4 metros

Como você pode notar, não se trata apenas de "falha histórica" e sim "falha de irresponsabilidade". Uma tecnologia como esta, acessível a qualquer município, se usada como forma preventiva dentro de um plano estratégico do Governo Federal para as regiões de riscos, poderia ter evitado tragédias como a de Angra dos Reis e esta da Região Serrana do Rio e outras "históricas".

"Enchentes ocorrem sempre nos mesmo lugares, portanto, não são surpresas. O problema é que, se nada é feito, elas aparentemente só ficam mais violentas", diz a consultora da ONU, Debarati.

A seguir dois vídeos. No primeiro, você assiste a força das águas do rio "engolindo" uma casa  em Carapicuíba (SP) e no segundo, um exemplo de tecnologia que vem do Japão, um país castigado várias vezes por ano por catástrofes naturais e que consegue evitar mortes e enchentes.

"O Brasil praticamente só tem um problema natural e não consegue lidar com ele. Imagine se tivesse terremoto, vulcão, furacões…" Guha-Sapi Debarati/ONU.

Blog do Lúcio Neto

Indicação para leitura: Otávio Di Mello via Twitter (http://twitter.com/otavio_di_mello)

Foto: Bruno Domingos/Reuters

5 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. A falha e responsabilidade e do governo faderal,pois todo ser humano tinha o direito de ter por lei um lugar proprio para morar…mas….como nao tem essa lei,tai o resultado de tudo isso…imresponssabilidade e exclusivamente do governo federal…….fico indignada com tudo isso..governos so querem saber de roubar e nao importa com mais precioso que e a vida humana…….

    Isa Castro

    15 de janeiro de 2011 at 13:18

    • ei adorei seu comentário
      acho q é isso mesmo q aconteceo governo
      só quero saber de roubar e esquece do mais importante
      precioso a vida
      to contigo nessa

      gustavo

      19 de fevereiro de 2011 at 11:55

  2. Não sei de onde vem tantos espcialistas em geografia, estatisticas, em zona de riscos, pessoas especializadas em organizar, separar e orientar as pessoas durante uma tragédia. Só vimos estas pessoas dando entrevistas em jornais de emissoras superfamosas ou não discussões, opiniões acertadas que poderia salvar milhares de vidas, futuro do pretérito. Por que estes mesmos especialista não vão onde está o risco, o perigo, não alerta o governo, a população, não chama as autoridades para ver o problema, ou melhor fazer igual fizeram aqueles que lutaram contra a ditadura e usar a democracia conquistada com tanto sangue para evitar que mais sangue seja derramdo pela ditadura do abandono, do deixa como está, da negligência, da procrastinação…
    Se eu fosse especialista e conhecesse tanto, soubesse falar de forma tão científica sobre o assunto, se professor nessa área… teria vergonha de ir à tv agora e colocar todos os meus conhecimentos em um chik programa de tv. Por que não fazem projetos juntos com os alunos para avaliar, alertar as sociedade e os moradores e pedir que eles lutem para preservar seus direitos. Tantas fazendas improdutivas que servem apenas para o tráfico de drogas, ou para enriquecer politicos, estrangeiros e especuladores. ESPECIALISTAS POR FAVOR PAREM DE APARECER APENAS NA HORA DA TRAGÉDIA, TRASSEM OBJETIVOS SÉRIOS E SEJAM GRANDES PERCURSORES DE PREVENÇÃO DE TRAGÉDIAS.

    VERONICA

    18 de janeiro de 2011 at 21:57

  3. […] com 2 comentários […]

  4. as mortes já passam dos 800, somando com os desaparecidos a triste soma deve chegar aos 1200 e talvez mais.

    Amiro

    24 de janeiro de 2011 at 13:22


A área de comentários é liberada. Mas não venham pra cá cantar de galo e me atacar ou atacar a quem defendo. Sejam educados e comportem-se. Se não gostam do que publico, criem um blog e sejam felizes. Petralha aqui, não!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s