Abobado

Odeio petralhas | Raça de sangue ruim; corruptos, bandidos, oportunistas, picaretas, malandros…

Archive for outubro 1st, 2012

Malafaia declara apoio a Serra

leave a comment »

Líder evangélico atacou Haddad por elaboração de ‘kit gay’ como material didático

O pastor Silas Malafaia, da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, declarou apoio ao candidato do PSDB a prefeito de São Paulo, José Serra. Ele justificou sua posição com críticas ao petista Fernando Haddad, que é atacado por grupos evangélicos pela criação do ‘kit gay’ – material didático de combate à homofobia elaborado a pedido do Ministério da Educação durante a gestão de Haddad.

"Povo de São Paulo! Gostaria de me omitir nesta eleição, mas não podemos deixar que Haddad, autor do kit gay, vá para o 2º turno. Vote em Serra!", escreveu o pastor, no Twitter.

Malafaia é um dos principais críticos da união de casais homossexuais no segmento evangélico. Ele também ataca com frequência a elaboração do "kit gay" e responsabiliza diretamente Haddad pela criação do material. Em abril, ele havia dito ao Estado que se manteria neutro no 1.º turno, mas adiantou que faria campanha contra o petista caso ele avançasse na disputa.

No 2.º turno da eleição presidencial de 2010, Malafaia havia declarado apoio a Serra contra Dilma Rousseff (PT), em meio a uma polêmica sobre o direito ao aborto que influenciou a disputa.

Malafaia tem atuação religiosa no Rio, mas sua influência se estende a alas da Assembleia de Deus em São Paulo. Na eleição carioca, o pastor declarou apoio à reeleição do prefeito Eduardo Paes (PMDB).

Estadão Online

Serra: "Julgamento do mensalão condena governo Lula"

leave a comment »

Tucano afirmou que ex-presidente está "aflito" com a decisão do STF e, por isso, evita o assunto e se concentra em falar mal dos outros

.José Serra em encontro com militantes do PSDB. Candidato diz que o ex-presidente Lula se "especializou em falar dos outros"

O candidato do PSDB à prefeitura de São Paulo, José Serra, disse nesta segunda-feira que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está "aflito" com o julgamento do mensalão e não tem coragem de chamar a imprensa para falar sobre o assunto. “Com o mensalão, o governo dele está condenado. Não é uma conspiração, como eles afirmaram naquele manifesto", disse o tucano.

"Conspirações como as que derrubaram Getúlio Vargas e Jango foram conspirações da direita com os militares. No caso do Lula, quem está tomando as medidas, condenando, é o Supremo Tribunal Federal. É o começo do fim da impunidade no Brasil."

O tucano rebateu as críticas feitas por Lula em um discurso no sábado, durante um comício do candidato Fernando Haddad (PT). O ex-presidente disse que o tucano "deveria se aposentar". Serra revidou: “É Lula que já está aposentado há muito tempo. Ele está aflito com a coisa do mensalão. Ele não enfrenta o assunto, então se especializa em falar mal dos outros“, disse Serra.

"Vem Lula, depois de oito anos de vida pública, me atacar em praça em pública? Isso é uma baixaria. Lula sabe perfeitamente que eu tenho energia física e intelectual para enfrentar qualquer desafio na vida pública. Ele sabe disso”, afirmou o tucano. Serra fez as declarações após uma caminhada de campanha pela Lapa, na zona oeste de São Paulo. Ele visitou uma tradicional rua de comércio da região e conversou com lojistas.

Veja Online

Mensalão: A hora dos petralhas

leave a comment »

O núcleo político do PT começa a ser julgado nesta semana no Supremo. Se condenados por corrupção ativa, Delúbio, Dirceu e Genoino podem pegar até 12 anos de cadeia

O julgamento do mensalão completa dois meses amanhã com 19 condenados e quatro absolvições. Mas nenhum veredicto proferido até agora pelo presidente do Supremo Tribunal Federal, Carlos Ayres Britto, terá tanta relevância e atenção quanto o esperado para os próximos dias. Hoje à tarde, o relator da Ação Penal 470, Joaquim Barbosa, deve começar a ler seu voto que vai definir o destino dos principais réus do caso. Ele dirá se o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares e o ex-presidente da legenda José Genoino articularam, ao lado do empresário Marcos Valério, o esquema de compra de votos de parlamentares da base aliada do governo. Se condenados por corrupção ativa, o trio que outrora já figurou como a cúpula do PT poderá passar de dois a 12 anos na cadeia. Eles ainda respondem por formação de quadrilha, crime que só será julgado na última etapa do mensalão.

O início da leitura do voto do relator a respeito do capítulo mais esperado do julgamento depende de quatro ministros. O STF está concluindo a análise das acusações contra ex-deputados, assessores e parlamentares do PP, PL (atual PR), PTB e PMDB. Nove pessoas já foram condenadas nesse capítulo, entre elas o delator do esquema, Roberto Jefferson, e o deputado federal Valdemar Costa Neto (PR-SP). O parlamentar do PP de Mato Grosso Pedro Henry está a um voto da condenação por corrupção passiva. Ainda faltam os votos dos ministros Celso de Mello, Marco Aurélio Mello e do presidente da Corte. O ministro Dias Toffoli leu metade de seu voto e falta concluir a sua análise. Se os quatro ministros forem sucintos, haverá tempo hábil para que Joaquim Barbosa comece, enfim, a revelar seu entendimento sobre os principais réus da Ação Penal 470.

Em seus votos anteriores, Joaquim Barbosa já deu pistas sobre o seu posicionamento. Quando condenou políticos da base aliada do governo, por diversas vezes citou "o esquema operacionalizado por Marcos Valério e Delúbio Soares", o que indica claramente uma condenação para o ex-tesoureiro e para o empresário por corrupção ativa. Barbosa afirmou há duas semanas que "Marcos Valério foi o elo entre todos esses parlamentares e o PT, na pessoa de Delúbio Soares". Ele também citou por várias vezes a lista entregue por Marcos Valério com os nomes dos beneficiários dos "pagamentos feitos a parlamentares no período, por ordem de Delúbio Soares".

Mistério

Apesar de ainda não ter dito em nenhum momento que José Dirceu fazia parte da organização do esquema, a exemplo das citações que fez a Delúbio e Valério, o relator do mensalão já deu pelo menos uma grande sinalização que compromete o ex-ministro. Ele fez menções a um episódio que tem grande espaço na denúncia da Procuradoria Geral da República: a viagem de alguns acusados da ação a Portugal em 2005.

De acordo com o Ministério Público, o ex-secretário do PTB Emerson Palmieri teria acompanhado o empresário Marcos Valério e seu sócio Rogério Tolentino em uma viagem a Lisboa. Na capital portuguesa, eles teriam se reunido com representantes da Portugal Telecom, para negociar o repasse de R$ 24 milhões para o esquema de corrupção. A PGR afirma que a viagem teria sido organizada por José Dirceu e que o ex-ministro teria tirado vantagem do interesse da Portugal Telecom na compra da empresa Telemig.

Na semana passada, durante um bate-boca com o ministro Ricardo Lewandowski, Joaquim Barbosa declarou que a viagem foi "bizarra" e "esdrúxula", o que indica que o relator não acatou a tese da defesa de Dirceu de que a viagem não tinha nenhuma relação com política e que Valério estaria interessado apenas em contratos de publicidade com a Portugal Telecom.

Nas próximas semanas, ao votarem nesse item da denúncia, os ministros vão revelar seu entendimento a respeito do poder que José Dirceu tinha no governo Luiz Inácio Lula da Silva e no PT. A defesa do ex-ministro afirma que ele teria apenas um "papel burocrático" dentro da estrutura da Casa Civil. Os advogados garantem ainda que José Dirceu estava completamente afastado do comando do Partido dos Trabalhadores. O ex-ministro é apontado pela Procuradoria Geral da União como o "chefe da quadrilha do mensalão".

Um dos aspectos citados pela denúncia que pode comprometer Delúbio Soares é a acusação de que ele teria se apropriado de R$ 550 mil do esquema. A PGR assegura que "muito embora o objetivo principal de Delúbio Soares fosse o financiamento ilícito do projeto político de poder do PT, ele não hesitou em locupletar-se do esquema". No caso de José Genoino, o seu elo com o esquema de corrupção é o fato de que ele foi avalista de um dos empréstimos falsos firmados entre o PT e o Banco Rural. A concessão do crédito foi renovada 10 vezes e Genoino deu garantia a todos esses acordos, já considerados fraudulentos pelo STF.

Correio Braziliense

Serra prefeito: Infraestrutura e dignidade

with 2 comments

O programa eleitoral do futuro prefeito de São Paulo do dia 01/10/2012

O Serra sempre foi assim: governa para todos, mas sempre pensando em quem mais precisa. Ele já transformou a vida de 170 mil famílias em mais de 70 comunidades, graças ao seu programa que transforma favelas em bairros de verdade, com moradias, ruas asfaltadas, AMAs, CEUs e toda a infraestrutura para uma vida digna. E, com Serra prefeito, o programa vai ser ampliado, com mais 200 novas favelas sendo transformadas!

Fim de linha para o pó da história: Destemperança verborrágica de Lula confirma o delicado momento enfrentado pelos petralhas

with 2 comments

Não faz muito tempo, logo no começo do período eleitoral, o abusado Luiz Inácio da Silva disse que, se preciso fosse, morderia a canela dos adversários para fazer do “lulodependente” Fernando Haddad o próximo prefeito da capital paulista. É óbvio que Lula não chegará às vias de fato, mas no sentido figurado esse ataque ganhou força nos últimos dias.

No último sábado (29), durante comício na Zona Lesta da cidade de São Paulo, Lula, ao lado de um inerte Haddad, disse que o tucano José Serra deveria se aposentar e não concorrer à prefeitura paulistana. “Serra está usando São Paulo como cabide de emprego. Ele devia requerer a aposentadoria, não a Prefeitura”. Responsável pelo período mais corrupto da história nacional, Lula não tem moral para atacar qualquer um, sob pena de aumentar ainda mais o descrédito que ora o emoldura. Apenas a sua claque, sempre disposta a ser enganada, é capaz de acreditar em palavras tão falaciosas.

Lula apela à ousadia ao falar em “cabide emprego”, pois é sabido que o governo do PT aparelhou a máquina federal de forma escandalosa, a ponto de um candidato oposicionista, se eleito presidente, precisar de pelo menos dois anos para promover uma assepsia e mandar de volta para casa a horda de apaniguados do PT palaciano.

Mas a insensatez de Lula, que sempre aflora de forma violenta no período eleitoral, foi maior na última sexta-feira (28), quando o ex-metalúrgico esteve em Campinas, no interior de São Paulo, para reforçar a campanha do companheiro Mário Pochmann, candidato do PT à prefeitura local. Sobre um carro de som que foi transformado em palanque, Lula voltou a atacar o PSDB e disparou: “Essa cidade que sempre votou contra tucano, sabe que tucano é um bicho político predador”.

Como sempre destacamos, política não é uma reunião de inocentes e bondosos monges tibetanos, mas se predadores implacáveis existem nesse meio, o topo da cadeia é dominado por petistas. O abuso de Lula é tamanho, que tal declaração se deu no vácuo do julgamento do Mensalão do PT (Ação Penal 470), cujas condenações já começam a preocupar os réus e a movimentar o mundo jurídico. Ou seja, o Supremo Tribunal Federal tem provado seguidas vezes que o PT é o mais predador dos animais políticos do País, pois desviou dinheiro público para financiar o maior escândalo de corrupção que se tem notícia no Brasil.

Entre o teatro que Lula faz sobre os palanques, diante de câmeras e microfones, e a realidade que tem vivido na intimidade há uma enorme e conceitual distância. De acordo com o que apuramos, o ex-presidente, quando está entre familiares e poucos amigos, tem se queixado, com o direito a choramingo, do caminho pelo qual enveredou o julgamento no Supremo. Até a primeira condenação ser confirmada. Lula ainda acreditava que a quadrilha do mensalão poderia sair ilesa. Se ele próprio não se cuidar, evitando declarações desconexas com a realidade, poderá acabar no banco dos réus, pois por dever de ofício o Ministério Público Federal investigará as denúncias feitas por Marcos Valério.

Ucho.info