Abobado

Odeio petralhas | Raça de sangue ruim; corruptos, bandidos, oportunistas, picaretas, malandros…

Archive for outubro 19th, 2012

Faz todo sentido: Lula, o pó da história, faz campanha para quem chamou de bandido

leave a comment »

Em troca do apoio do PDT nacional a Fernando Haddad em São Paulo, o ex-presidente Lula gravou uma declaração de apoio ao prefeito de Macapá, Roberto Góes (PDT), candidato à reeleição. Preso na Operação Mãos Limpas da Polícia Federal, em 2010, Góes passou dois meses na Penitenciária da Papuda em Brasília.

No primeiro turno, Lula não se manifestou sobre a campanha no Amapá. Agora, entretanto, ofereceu-se para uma missão espinhosa, que até o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP) – antigo aliado de Roberto – tratou de recusar.

Há dois anos, em discurso inflamado, Lula usou a ação da Polícia Federal no Amapá, que resultou na prisão de Góes, como exemplo do combate implacável de seu governo à corrupção. Quando a Mãos Limpas chegou ao noticiário nacional, Lula elogiou publicamente a PF e bradou que bandidos não ficariam impunes em seu governo.

No mesmo descompromisso de sempre com os fatos, o ex-presidente diz agora que Góes, a quem chama carinhosamente de Roberto – e que faz campanha sob restrição judicial – é depositário da confiança e dos sonhos dos cidadãos de Macapá.

É preciso votar em Roberto, diz ele, para ajudar a construir “um Brasil forte, cheio de vida, onde as pessoas caminham com confiança cada vez maior na realização de seus sonhos”.

A plena confiança na falta de memória do eleitor – que um juiz de Macapá recentemente achou por bem manter desinformado -, leva o ex-presidente a um flagrante daqueles que provoca a chamada “vergonha alheia”.

“Quando tem roubo a gente pega, vocês viram o que aconteceu agora no Amapá. Só tem um jeito de um bandido não ser preso neste país, é ele não ser bandido”, disse ele em 2010, três dias após as prisões do então governador do Amapá, Pedro Paulo Dias (PP), do ex-governador Waldez de Góes (PDT), do presidente do Tribunal de Contas José Júlio de Miranda Coelho e do presidente da Assembleia Legislativa, Jorge Amanajás (PSDB).

Roberto Góes, primo do ex-governador, seria preso três meses depois, pela mesma razão: desvio de R$ 1 bilhão em recursos federais, segundo a PF. O inquérito ainda está em tramitação no Superior Tribunal de Justiça e no Tribunal Regional Federal da 1ª Região.

João Bosco Rabello, Estadão Online

Serra: Show de propostas no debate da Band!

with one comment

O programa eleitoral do futuro prefeito de São Paulo do dia 19/10/2012

Ontem, foi realizado o primeiro debate deste segundo turno, pela TV Bandeirantes. E, como era esperado, Serra, de longe o mais preparado, deu um banho no concorrente, apresentando propostas e soluções concretas para fazer a cidade avançar ainda mais.

Serra mostrou seus projetos para educação, transporte, saúde, segurança, enquanto o candidato do PT se prendia a ataques incessantes, sem apresentar nenhuma proposta e mostrando total desconhecimento sobre a realidade de São Paulo.

Não vote em candidato de partido mensaleiro e corrupto. PT nunca mais!

A campeã de popularidade não vai escapar do nocaute no duelo com a vilã de novela

leave a comment »

“O candidato adversário, mais uma vez, tem uma conduta contra o povo de Salvador”, discursou nesta quinta-feira o companheiro Nelson Pelegrino, que disputa a prefeitura da capital baiana com o deputado ACM Neto, do DEM. O que fez de tão grave o concorrente? Propôs a implosão do Mercado Modelo? A interdição do Pelourinho? O cancelamento do Carnaval de 2013 e o fim de todos os trios elétricos? Nada disso: ACM Neto só pediu à Justiça (e foi atendido) que proibisse o uso de um telão no comício de encerramento da campanha de Pelegrino.

Eufórico com a confirmação da presença da presidente Dilma Rousseff, o candidato do PT descobriu tarde demais que o fecho glorioso da temporada eleitoral, marcado para hoje à noite, coincidirá com o capítulo final da novela Avenida Brasil. Recordistas de popularidade não costumam temer concorrentes, mas Pelegrino ainda convalesce do traumático fiasco de Lula na passagem por Salvador. Mesmo alugando espectadores por até 35 reais, o palanque ambulante juntou menos de 3 mil cabeças.

Como livrar os 62% de aprovação de Dilma do perigoso confronto com os 50 pontos de audiência da dupla Carminha e Nina?, atormentou-se Pelegrino antes da montagem do plano de emergência. Primeiro, transferiu o evento da Praça Castro Alves para um lugar mais populoso. Depois, antecipou em uma hora o comício que, na programação original, começaria às oito. Mas o que lhe pareceu uma ideia especialmente luminosa foi a instalação do telão sintonizado na Globo desde o começo da discurseira. Se o palavrório dos oradores demorasse muito, bastaria cortar o som do microfone e subir o do telão.

Convencido de que transformara a ameaça em trunfo, Pelegrino estava pronto para os agradecimentos de Dilma Rousseff quando foi surpreendido pelo adversário: invocando a norma legal que proíbe a realização dos chamados “showmícios”, ACM Neto solicitou a retirada do telão. À espera do julgamento do recurso encaminhado à Justiça, o candidato petista tenta adivinhar o que Dilma dirá ao topar com uma plateia de circo mambembe. Para a companheirada, pitos da presidente são muito mais apavorantes que qualquer tramoia da vilã da novela.

Augusto Nunes