Abobado

Odeio petralhas | Raça de sangue ruim; corruptos, bandidos, oportunistas, picaretas, malandros…

Archive for maio 14th, 2014

Aécio diz que medo do desemprego é de petistas com a possibilidade de saírem do governo

leave a comment »

Ao chegar ao II Congresso dos Diários do Interior do Brasil, aberto na terça-feira a noite pelo ex-presidente Lula, o presidenciável do PSDB, Aécio Neves, criticou novamente a “aposta” do marqueteiro do PT, João Santana, no medo e ameaça de perda de conquistas do eleitor menos favorecido, caso a presidente Dilma Rousseff não seja reeleita. Aécio disse que a aposta, equivocada, de vender o medo ao invés da esperança, mostra uma fragilidade extrema da presidente Dilma.

— As últimas apostas do João Santana não deram certo. A única coisa coerente naquele vídeo é o medo de que haja desemprego. Mas é o medo do PT perder os empregos que tem no governo — ironizou Aécio Neves.

Mais cedo, no encontro da Marcha dos Prefeitos, Aécio voltou a atacar a falta de competência da presidente Dilma para governar o Brasil. E disse que, independente da polêmica e tentativa de amedrontar o eleitor, ele vai governar com responsabilidade se for eleito.

— Não se governa um país com a complexidade do Brasil, sem coragem para tomar as medidas certas. Vou repetir uma frase que tem causado polêmica: se tiver o privilégio de vencer essa eleição, não governarei de olho nos índices de popularidade. Vou governar com responsabilidade. O mal já foi feito e o crescimento é pífio.Ao invés dos Brics, hoje fazemos parte dos Frics, países em quem ninguém confia — discursou Aécio.

No encontro da mídia regional, Aécio prometeu a descentralização da destinação dos recursos públicos para veiculos de comunicação.

— Vamos fazer essa descentralização sem escolhas e privilégios, sem visão ideológica, sem discriminação, fortalecendo os veículos de comunicação do interior do Brasil — prometeu.

Ele disse que o Brasil caminha para um estado unitário, com a concentração recursos nas mãos da União, levando ao esfacelamento das receitas dos municipios.

O Globo Online

O recorde de Lula: uma facada na razão e um assassinato da verdade em 26 segundos

leave a comment »

O vídeo que registra um trecho do palavrório de Lula no último Encontro Nacional do PT enfileira, em apenas 26 segundos, uma facada nas costas da razão, o extermínio de um plural e outro assassinato da verdade. É coisa de espantar mesmo quem já não se espanta com nada que venha do palanque ambulante.

“Disputa eleitoral é sempre troca de farpa, troca de acusação e nós temos alguns partido (sic) de oposição”, diz o mestre a seus discípulos. Uma eleição pode caber nesse reducionismo mequetrefe no submundo em que o ex-presidente nasceu, vive e morrerá. Em nações civilizadas, embates decididos nas urnas não têm parentesco com o vale-tudo em que o vitorioso é quem desfere golpes baixos com maior eficiência. Nas democracias de verdade, candidatos lutam por votos amparados em programas, ideias e pontos de vista.

Para concluir o sermão de missa negra, o celebrante se volta para Dilma Rousseff: “Mas o que me causa preocupação, presidenta, é que o principal partido de oposição a Vossa Excelência é a nossa gloriosa imprensa, que é o grande partido de oposição neste país”, capricha na redundância o recordista mundial de mentiras por minuto. O adjetivo “glorioso” identifica o jornalismo independente. O resto, muito apreciado pelo orador, é o lixão que junta jornais, revistas, canais de TV, emissoras de rádio, sites e blogs a serviço da seita lulopetista e de seu único deus.

Lula finge que a imprensa é um partido oposicionista para escapar de cobranças e perguntas que todo governante é obrigado a enfrentar em países onde efetivamente vigoram a liberdade de expressão e o direito à informação.

Que fim levou a autossuficiência na produção de petróleo proclamada em 2006 pelo fundador do Brasil Maravilha que continua importando milhões de barris? Ele também nunca soube nada sobre a compra do trambolho de Pasadena? O que aconteceu para que o preço da Refinaria de Abreu e Lima, tramada em parceria com Hugo Chávez, subisse de US$ 2 bilhões para US$ 20 bilhões? Um filho de um operário metalúrgico tornar-se multimilionário é apenas um milagre brasileiro? Onde estão as provas de que o mensalão foi apenas uma trama golpista dos loiros de olhos azuis? Como explicar o fiasco monumental da supergerente transformada em sucessora? Quando será balbuciado algum álibi vinculado às roubalheiras promovidas por Rosemary Noronha e seus amigos no escritório da Presidência da República em São Paulo?

É para furtar-se a essas e outras perguntas sem respostas convincentes que Lula resolveu decretar que a imprensa é um partido de oposição. Antes que use o mesmo argumento contra o Ministério Público, os procuradores e promotores de Justiça responsáveis por investigar as maracutaias que envolvem o ex-presidente devem cumprir seu dever e intimá-lo a contar o muito que sabe.

Augusto Nunes