Abobado

Odeio petralhas | Raça de sangue ruim; corruptos, bandidos, oportunistas, picaretas, malandros…

Archive for the ‘Venezuela’ Category

General venezuelano de metralhadora em punho defende sua casa da invasão dos esbirros da ditadura comunista do tiranete Nicolás Maduro

leave a comment »

General Ángel Vivas, armado, discursa do terraço de sua casa

O tiranete Nicolás Maduro mandou um batalhão de soltados e terroristas cubanos para prender o General Ángel Vivas que resiste bravamente de arma em punho e com apoio da população que rechaça os comunistas

O general venezuelano Angel Vivas está resistindo de metralhadora em punho a tentativa da polícia de tiranete comunista Nicolás Maduro de invadir a sua casa. Esse general foi reformado porque não quis se submeter ao controle militar da ditadura de Fidel e Raúl Castro.

Maduro mandou seus bate-paus vasculhar a casa do general e prendê-lo. Entretanto, encontraram o militar com uma metralhadora em punho que até há pouco impedia o avanço da Guarda Bolivariana e de milícias armadas, os chamados ‘coletivos’ comunistas, uma espécie de MST do PT.

As fotos mostram o general Vivas e, abaixo, seus vizinhos de bairro que se aglomeram perto da residência do militar. Os vizinhos de Ángel Vivas também se encarregaram de montar barricadas para impedir o avanço dos assassinos comunistas fardados.

Certamente, esta matéria não estará no Fantástico da Rede Globo e em nenhum outro veículo da grande mídia brasileira, toda ela sob o controle dos comunistas do PT.

O tiranete Nicolás Maduro mandou um batalhão de soltados e terroristas cubanos para prender o General Ángel Vivas que resiste bravamente de arma em punho e com apoio da população que rechaça os comunistas

Blog do Aluízio Amorim

Written by Abobado

23 de fevereiro de 2014 at 20:02

A declaração de apoio a Maduro informa: o Mercosul começou a agir na clandestinidade e está com cara de organização criminosa

leave a comment »

Às vésperas da sessão de abertura, o presidente venezuelano Nicolás Maduro amparou-se na cirurgia a que foi submetida Cristina Kirchner para adiar por um mês a reunião de cúpula do Mercosul que começaria no dia 17 de dezembro, em Caracas. Em 5 de janeiro, invocando a necessidade de preservar a saúde da colega argentina, o herdeiro de Hugo Chávez resolveu transferir o início do encontro para o último dia do mês. Em 16 de janeiro, misteriosos “problemas de agenda” serviram de pretexto para o terceiro adiamento. E a celebração bolivariana ficou para “meados de fevereiro”.

Como fevereiro vai chegando ao fim, é certo que vem aí o quarto adiamento. O encontro dos sócios do bloco econômico mais raquítico do mundo será provavelmente transferido para março. É possível que fique para quando Deus quiser, avisam os desdobramentos da crise venezuelana e os indícios veementes de que os quatro parceiros de Maduro querem distância de Caracas. Fazem muito bem, concordam as cenas perturbadoras agrupadas no vídeo abaixo (gravado durante os protestos da última quinta-feira, dia 13) e as fotos que documentam a gigantesca manifestação promovida nesta terça-feira.

Um comunicado divulgado neste domingo pelo Ministério das Relações Exteriores da Venezuela atesta que a turma do Mercosul decidiu combater ao lado de Maduro, mas à distância e por escrito. Num texto cuja autoria foi atribuída por muitos adversários ao sucessor do bolívar de hospício, “os Estados membros do Mercosul, diante dos recentes atos violentos na irmã República Bolivariana da Venezuela e as tentativas de desestabilizar a ordem democrática, repudiam todo tipo de violência e intolerância que busquem atentar contra a democracia e suas instituições, qualquer que seja sua origem“.

E a prisão do líder oposicionista Leopoldo Lopez? E a retomada das perseguições à deputada Maria Corina Machado? E os manifestantes (dois oposicionistas e um chavista) assassinados com tiros na cabeça? O documento que ninguém assinou não perdeu tempo com tais detalhes, como deixa claro o restante do texto. Confira a continuação do palavrório:

Os Estados membros reiteram seu compromisso com a plena vigência das instituições democráticas e, neste contexto, rejeitam as ações criminosas de grupos violentos que querem espalhar a intolerância e o ódio na República Bolivariana da Venezuela como uma ferramenta política. Expressam seu mais forte rechaço às ameaças de ruptura da ordem democrática legitimamente constituída pelo voto popular e reiteram a sua posição firme na defesa e preservação das instituições democráticas, de acordo com o Protocolo de Ushuaia sobre compromisso democrático no Mercosul (1998).

Sugerem que as partes a continuem a aprofundar o diálogo sobre as questões nacionais, dentro do quadro das instituições democráticas e do Estado de direito, como tem sido promovido pelo presidente Nicolás Maduro nas últimas semanas, com todos os setores da sociedade, incluindo parlamentares, prefeitos e governadores de todos os partidos políticos representados. Finalmente, expressam suas sinceras condolências às famílias das vítimas fatais, resultado dos graves distúrbios causados, e confiam totalmente que o governo venezuelano não descansará no esforço para manter a paz e plenas garantias para todos os cidadãos.

Os cinco patetas que dividem o fiasco do Mercosul acabam de operar um milagre e tanto. Pela primeira vez, uma declaração conjunta foi aprovada sem que se perdesse tempo com reuniões, debates, sugestões de acréscimos, propostas de cortes e outras miudezas. Pela primeira vez, um documento que traduz o ponto de vista de um punhado de países foi divulgado sem rubricas nem assinaturas. Pela primeira vez, continuam no baú dos segredos de Estado o nome do redator, a identidade dos envolvidos nos trabalhos de parto e o local de nascimento da peça histórica.

A gestação do texto reforça a suspeita de que o Mercosul caiu na clandestinidade e resolveu agir nas sombras. Pelo prontuário dos parceiros, ninguém ficará surpreso se a entidade engrossar a lista das organizações criminosas.

Augusto Nunes

Chávez acusa FBI e CIA de fazer "invenções" sobre "caso da mala"

leave a comment »

O presidente venezuelano, Hugo Chávez, disse hoje que os órgãos de inteligência dos Estados Unidos fizeram uma "invenção" em torno da apreensão da mala com US$ 800 mil, que estava em poder do empresário Guido Antonini Wilson, em Buenos Aires para "prejudicar" as relações entre o seu país e a Argentina.

"Condenam-me por uma mala inventada pelo o FBI (Polícia federal americana) e a CIA (agência de inteligência americana) para tentar prejudicar as relações do Governo da Argentina com o venezuelano", declarou Chávez em Moscou, em entrevista por telefone para rede estatal "Venezolana de Televisión".

Chávez faz visita de trabalho a Rússia, terceira etapa de sua viagem de uma semana, que começou no domingo em Cuba, passou pela China, e ainda irá a França e Portugal.

A Justiça americana acusa quatro venezuelanos e um uruguaio de atuar como agentes do Governo de Chávez em uma operação para esconder a origem dos US$ 800 mil apreendidos na Argentina, em agosto de 2007.

Antonini Wilson se transformou na principal estrela do julgamento que ocorre em Miami. Segundo gravações de conversas dos acusados apresentadas como provas, o dinheiro seria destinado a campanha da presidente argentina, Cristina Fernández de Kirchner.

O empresário, testemunha protegida pelo FBI, disse no julgamento que, além dos US$ 800 mil apreendidos, havia outros US$ 4,2 milhões no avião que ele usou para chegar a Buenos Aires acompanhado de altos funcionários de empresas petrolíferas de Venezuela e Argentina. Agência EFE

Written by Abobado

25 de setembro de 2008 at 22:42

Publicado em Venezuela

Tagged with , ,

“Pedro, o Grande” zarpa rumo à Venezuela

leave a comment »

kirov

Uma força-tarefa russa zarpou hoje, com destino ao Oceano Atlântico, a fim de participar de exercícios navais conjuntos com a Marinha de Guerra da Venezuela, em novembro, disse um porta-voz da Marinha Russa.

“Uma força tarefa da Frota do Norte, que compreende o cruzador nuclear Pyotr Velikiy,  o destróier Almirante Chabanenko e navios de apoio, deixou a base de Severomorsk no início da segunda-feira, para realizar exercícios de treinamento no Atlântico,” afirmou o capitão Igor Dygalo.

O Pyotr Velikiy é um cruzador da classe “Kirov” (foto) de propulsão nuclear, equipado com mísseis antinavio de longo alcance SS-N-19 “Shipwreck”. O navio possui autonomia praticamente ilimitada e também é equipado com cerca de 500 mísseis superfície-ar de diferentes tipos, e um grande número de outras armas.

Dygalo disse que, durante o desdobramento, os navios de guerra russos vão participar de exercícios navais conjuntos com a Marinha de Guerra Venezuelana, entre 10 e 14 de novembro, de acordo com o programa de treinamento de 2008, a fim de expandir a cooperação militar com marinhas estrangeiras.

“Durante o exercício, navios e aeronaves vão praticar manobras coordenadas, busca e  salvamento, e comunicações”, disse Dygalo. Agência RIA Novosti

Written by Abobado

22 de setembro de 2008 at 20:09